viver

Um livro, uma verdade

Renato Ferreira 04.03.2016

Às sextas, às seis...um livro.

Sugestão de Renato Ferreira para esta semana:

Tem atualmente 30 anos. Mas quando “A verdade sobre o caso Harry Quebert” saiu para as livrarias, ele tinha 27. Falo de Joel Dicker, nascido em Genebra, na Suiça e que atingiu um considerável sucesso com esta obra de 2012. Sempre que constato que alguém, ainda na sua juventude, consegue deslumbrar o mundo literário desta forma, lembro-me da frase de José Saramago dita a propósito de Gonçalo M. Tavares quando este venceu o prémio José Saramago 2005: “Gonçalo M. Tavares não tem o direito de escrever tão bem apenas aos 35 anos: dá vontade de lhe bater!” (já a mim, Renato Ferreira, também eu um aspirante a escritor, dizem-me que têm vontade de me bater pelo motivo exatamente oposto…).

Bem…voltando ao livro em questão. Afinal, quem matou a jovem de 15 anos Nola Kellergan? É este o mistério que nos faz virar página após página neste romance, bem como o suspense de descobrirmos se Marcus Goldman, jovem escritor, vai conseguir ultrapassar um duplo desafio: conseguir escrever um segundo romance que vá ao encontro das expectativas que o seu primeiro levantou – tendo que vencer a crise da página em branco – e ajudar a (tentar) provar a inocência do professor, amigo e mentor Harry Quebert, escritor conceituado que viveu um romance com Nola, em relação ao crime – algo que não será fácil, uma vez que o cadáver da rapariga foi descoberto precisamente no jardim dele.

Para quem não quiser ler as 684 páginas, vou desde já dizer quem matou Nola Kellergan… Foi…

Acham? É claro que não vou dizer quem foi…

 

Este é um livro para quem gosta de livros em que o protagonista é um escritor. É o meu caso. E já agora, por falar em mim novamente, e tendo eu precisamente 35 anos, defendo-me recorrendo ao caso do escritor Sam Savage (que escreveu, por exemplo, o “Firmin”), que só aos 65 anos se estreou literariamente…

Estão a ver? Ainda tenho algum tempo para escrever um livro em condições…

Boas leituras e bom fim de semana!

 


Relacionados

Tão longe, tão perto

Não é à toa que, recorrentemente, o Brasil é referido como sendo o nosso “país...

Continuar a ler Duarte Pernes   15.07.2018

S.O.S.Direitos Humanos

As múltiplas barreiras cooperação para o desenvolvimento, nomeadamente as...

Continuar a ler Hélia Saraiva   12.07.2018

Comentários

Não existem comentários ainda. Porque não ser o primeiro?

Novo comentário