viver

Regra de Silêncio

Renato Ferreira 01.03.2017

Às quartas, às quatro...um filme.

Hoje o texto é de Renato Ferreira. Filme escolhido: Regra de Silêncio.

--------------------------------------------------------------------------------

Liguei a televisão há uns dois ou três meses e apanhei o final do filme Peões em Jogo (Lions for Lambs), um filme em que um professor vai tendo uma conversa interessante com um seu aluno a propósito do futuro deste (do aluno). Já neste filme Robert Redford, o professor, aparece como alguém que vai ter papel determinante nas escolhas de um elemento da geração mais nova. Foi este filme que me fez chegar ao Regra de Silêncio – porque fiquei curioso sobre os filmes realizados por este ator-também-realizador-e-também-produtor que conta já, pelas minhas contas, com uma carreira cinematográfica de 57 anos.

O Regra de Silêncio (The Company You Keep), de 2012, é um filme muito bem povoado: para além dele - Robert Redford -, podemos ver em acção Anna Kendrick, Nick Nolte, Susan Sarandon, entre outros incluindo o “jornalista” Shia Labeouf. Mais uma vez Redford, na personagem que desempenha na história, vai levar um elemento da geração mais nova a ter que tomar decisões. Neste caso não é um aluno mas sim precisamente o jovem jornalista do enredo. Ao contrário do filme Peões em Jogo, neste Regra de Silêncio nós assistimos de facto à resolução final do dilema que essa personagem mais nova tem.

Curioso é que Robert Redford também já fez o que Shia Labeouf faz neste filme. Quem não se lembra de Redford como Bob Woodward a desvendar o caso Watergate n’ “Os Homens do Presidente”? Pois bem, neste Regra de Silêncio é Redford quem está a ser investigado. Mas para não lhe tirar o prazer da descoberta deste filme, não lhe vou dizer se ele é tão culpado quanto Richard Nixon o foi.

“Os segredos são perigosos. Pensamos que queremos sabê-los. Mas descobrimos sempre algo sobre nós. Espero que esteja preparado para isso.” 

                                                  


Relacionados

Tão longe, tão perto

Não é à toa que, recorrentemente, o Brasil é referido como sendo o nosso “país...

Continuar a ler Duarte Pernes   15.07.2018

S.O.S.Direitos Humanos

As múltiplas barreiras cooperação para o desenvolvimento, nomeadamente as...

Continuar a ler Hélia Saraiva   12.07.2018

Comentários

Não existem comentários ainda. Porque não ser o primeiro?

Novo comentário