viver

Manjar dos portugueses

Duarte Pernes 10.11.2018

Viajar pela A1, seja em que sentido for, pode ter significados e propósitos vários e, seguramente, foi algo já feito com frequência por aqueles que habitam e percorrem o litoral português, designadamente o eixo Porto-Lisboa. Ora, pelo menos para uma boa parte deles, com certeza que o nome “Manjar do Marquês” é familiar quando chega o momento de repousar e iniciar um repasto, mas já lá vamos.

Andar alguns quilómetros, mesmo que seja de carro, tem o condão de pôr o estômago a trabalhar em ritmo acelerado e as áreas de serviço, além de serem demasiado impessoais e circunstanciais, são um convite a uma perda de peso abrupta na carteira, tal os preços absurdamente inflacionados que são praticados em espaços do género. Para evitar este, digamos, «atentado aos bolsos» (ou às bolsas) e proporcionar em simltâneo a paragem num lugar mais reconfortante, a Mealhada e um dos seus inúmeros de restaurantes especializados em leitão é, porventura, um dos primeiros sítios a surgir na cabeça do comum dos viajantes. Mas, como bem sabem os frequentadores da A1, há vida para lá deste pitéu, tão bem confecionado pelas gentes mealhadenses.


É aqui que chegamos finalmente ao Manjar do Marquês. Lugar de referência para os condutores esfomeados, este restaurante fica localizado na cidade do Pombal, inserido já na estrada nacional nº 1, poucos metros após a saída da autoestrada. Os muitos anos de atividade que leva não só não fizeram com que o espaço (bastante amplo, por sinal) perdesse qualidade, como aumentaram a fama em redor do seu belíssimo arroz de tomate, que é o motivo central da visita de todo o tipo de clientes: dos que viajam de automóvel, em trabalho ou em lazer, e até dos que vão a pé, em peregrinação a Fátima.


De facto, este bem pode ser conhecido como o restaurante em que a grande atração é o acompanhamento, ou em que aquelas iguarias, que noutro lado qualquer seriam tidas como as protagonistas, não são mais do que a guarnição. Porque – sem desfazer os deliciosos panados, croquetes, filetes de pescada e bolinhos de bacalhau que constam da ementa – o que importa mesmo é o arroz de tomate, servido à descrição e diretamente da panela. Farto, cremoso e apetitoso. Como gostamos, como nos habituamos em Portugal.


PS: Depois disto, vale a pena recomendar a mousse de chocolate para sobremesa ou o pecado da gula já foi levado longe que chegasse?


Informações gerais:
Nome: Manjar do Marquês.
Especialidade(s): Arroz de tomate.
Localização: Estrada Nacional nº 1, 3100-373 Pombal.
Horário de funcionamento: Aberto até às 22h00. Encerra apenas à quarta-feira.
Website ou página online: https://www.facebook.com/omanjardomarques/

 

 


Relacionados

O podcast do Renato 5

O podcast do Renato - episódio nº 5 - entrevista com Ricardo Azevedo

Continuar a ler Renato Ferreira   07.12.2018

Caminhos do litoral

Guetim é uma localidade do litoral português, pertencente ao concelho de Espinho...

Continuar a ler Duarte Pernes   01.12.2018

Comentários

Não existem comentários ainda. Porque não ser o primeiro?

Novo comentário