viver

Prazeres de Verão

Duarte Pernes 16.02.2019

Cada estação do ano consegue ter o seu encanto e propiciar prazeres diferentes, graças precisamente às suas particularidades. Cá por mim, tento valorizar as idiossincrasias positivas de cada época, mesmo quando são a chuva, o frio e os dias escuros a serem a nota dominante durante semanas ou meses. Mas mesmo para quem procura adotar esta atitude magnânima perante os incontornáveis ditames da natureza, há que reconhecer ao Verão uma série de aspetos deliciosos que o fazem tomar a dianteira das preferências de tanta e tão boa gente: os dias quentes e salgados de praia, os convívios boémios e calorosos com indumentárias leves e descontraídas, ou as refeições tardias, onde o marisco e o peixe fresco se tornam particularmente apetecíveis.

Em agosto do ano passado –  no pico do Verão, portanto – tive oportunidade de passar um dia na Costa Nova, situada na Gafanha da Encarnação, perto de Aveiro. Com uma bela praia, dotada de um vasto areal, e uma marginal ocupada por casas coloridas (às quais se dá o nome de “palheiros”) que têm tanto de típicas quanto de peculiares, este é sem dúvida um lugar bastante aprazível para os veraneantes do litoral Norte e Centro português. Foi também nesta localidade aveirense que, pela primeira vez, experimentei uma especialidade muito popular por aquelas bandas: caldeirada de enguias. O responsável? Dori, restaurante Dori mais concretamente.

Confesso não ter nenhum parti pris negativo seja por que alimento for, o que ajudou a responder sem demasiadas hesitações ao repto lançado em relação à degustação deste prato tão distinto. E em boa hora o fiz porque qualquer pequena reticência que pudesse guardar até à hora do repasto, rapidamente se desvaneceu graças à maravilha que saía, ainda a fumegar, da imponente panela colocada em cima da mesa. Sobre a descrição do pitéu, a forma mais básica de o apresentar é a seguinte: enguias e batatas devidamente embebidas numa calda picante de azeite, alho e cebola. Do resultado final desta rapsódia de sabores, o melhor que poderei afiançar é que os meus talheres não pararam até me ajudarem a atingir a saciedade plena e o prato ficar completamente vazio.    

Tudo ocorreu ao almoço, embora o relógio já devesse marcar quase as três e meia da tarde, e depois de uma bela manhã passada entre amigos e com muitos mergulhos no mar. A reserva estava feita, mas o amplo espaço do Dori dispensa, em princípio, este tipo de diligências. Acrescente-se que, para os mais conservadores no que respeita às lides gastronómicas, o restaurante oferece outras iguarias, tais como gambas, lagosta, arroz de tamboril ou linguado grelhado.  

Para o regresso do Verão ainda faltam alguns meses, mas o apetite, esse, vai sempre a tempo de ser aberto.

 

Informações gerais:

Nome: Restaurante Dori.

Especialidades: Caldeirada de enguias, gambas, lagosta, arroz de tamboril e linguado grelhado.

Morada: Rua das Companhas 2, 3830-455, Gafanha da Encarnação.

Horário de funcionamento: de terça a domingo, das 12h00 às 15h30 e das 20h30 às 22h30. Encerra às segundas.

 

 

 


Relacionados

Casa portuguesa com certeza

Vila Nova de Famalicão é uma cidade conhecida, sobretudo, pela sua força...

Continuar a ler Duarte Pernes   09.03.2019

Indefensável

A supervisão dos bancos falhou. Os bancos são mal geridos. Os contribuintes não...

Ver vídeo Ricardo Jorge Pinto   07.03.2019

Comentários

Não existem comentários ainda. Porque não ser o primeiro?

Novo comentário