viver

Café na contramão?

Hélia Saraiva 04.01.2016

O panorama gastronómico, propulsor da demanda pelo bom restaurante, boa refeição, bom atendimento e boas harmonizações na escolha das bebidas, das sobremesas e dos cafés é tema de conversas que se estendem como toalhas de praia no areal e tem incentivado a procura dos cafés de qualidade, premium. Aqueles que os esgaravatam são consumidores exigentes atraídos pela sua degustação e pela sua envolvência. Esse interesse originou o recrudescimento, nesta década, de um mercado dedicado à “cafeófilia” concretizado na eclosão de um período fértil desse segmento de mercado, visível no despontar de lojas especializadas na venda de café e em cafetarias que aliam a diversificação do produto à diferenciação do serviço. Constato-o com a revisitação de preparações como o cappuccino, o frappé (granizado) tendo na base o modo de preparar o café expresso, cujo consumo crescente extravasou os locais tradicionais. O ramo de negócios do fast food e das sobremesas geladas, conscientes do seu potencial, desenvolveram balcões que disponibilizam ementas com bebidas frias e quentes constituídos pelo referido elixir escuro, informativas da sua aquisição e portabilidade.

 

Esta movimentação estendeu-se à instauração de novas profissões e de novos clientes coligadas ao segmento. Em primeiro lugar, a criação de baristas, Q-graders (avaliadores da sua qualidade) degustadores, entre outras. Em segundo lugar, a esta dinâmica dilatou-se até aos familiares ativos e passivos que habitam e visitam as nossas residência, dada a vontade de reproduzirmos os odores, sabores, e texturas das nova infusões através do acesso a cafés gourmet encapsulados cujos catálogos nos familiarizam com a descoberta de subdivisões de espécies do cafeeiro, além da divisão clássica em robusta e arábica, como bourbon, e das influências geoclimáticas dos respectivos terroirs. Consequentemente, sinto-me instigada a escrever sobre a relação entre o café e o vinho. Fá-lo-ei noutra ocasião porque como não meço “a vida através de colheres de café” vou escolher uma das seguintes bebidas: um refrescante granizado moka ou um café bem traçado.


Relacionados

Entre o Porto e o Atlântico

Cada lugar tem o seu encanto, a sua harmonia e a sua personalidade. Às vezes, nem é...

Continuar a ler Duarte Pernes   03.11.2018

Petiscos entre amigos

Exaltar em abstrato a baixa do Porto como um lugar onde, cada vez de forma mais...

Continuar a ler Duarte Pernes   11.01.2016

Comentários

Não existem comentários ainda. Porque não ser o primeiro?

Novo comentário